domingo, 19 de dezembro de 2060

PAREDE...


Olá ! Sou o Daibes Ottoni de Oliveira Filho ou D.Ottoni, sou formado em Licenciatura em Artes Plásticas pela UnB - Universidade de Brasília e artísta plástico autodidata, trabalho com Artes desde os 8 anos de idade, hoje estou com 45 anos, fui tatuador e trabalho com Graffiti e aerografia desde 1996. Instagram de Arte: @dottoniarte





Fui palestrante e professor de Artes do “Projeto Picasso Não Pichava” da SSP/DF - Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal durante 5 anos (entre 2007 e 2012), aonde ensinava desenho e graffiti para crianças e jovens de comunidades carentes do DF (Ceilândia, Paranoá, Varjão e itapoã) para afastá-los do crime e das drogas e mostrar também uma nova perspectiva profissional para este público, na Arte como profissão.





Sou Sargento da PMDF - Polícia Militar do Distrito Federal e atualmente desenvolvo trabalhos no campo da Arte Educação Ambiental no BPMA - Batalhão de Polícia Militar Ambiental do DF, utilizando a Arte e a Literatura para promover a educação ambiental de crianças e adolescentes através da criação, produção e disponibilização gratuita de material gráfico educativo jntamente com o Sgt. Fabiano Fernandes através do Blog de Educação Ambiental do projeto SABER CERRADO - PREALG/BPMA/PMDF - Programa de Educação Ambiental Lobo Guará: www.protegenatura.blogspot.com






No BPMA trabalho no PREALG no projeto SABER CERRADO aonde desenvolvemos as nossas atividades no CEA/PNB - Centro de Educação Ambiental do Parque Nacional de Brasília na parceria entre PMDF + ICMBio + SEEDF + MPDFT atendendo diariamente, escolas, universidade, pesquisadores, visitantes, turístas e apenados do MPDFT através de cursos, palestras, visitas guiadas e trilhas ecológicas sempre com a pegada ambiental.







No prédio do CEA/PNB pintei dois grandes painéis de graffiti ambiental com a temática da fauna do Cerrado - Casal de Lobos Guará e As 3 onças - Estes painéis que se transformaram em mais um ponto turístico dentro do PNB, aonde turístas tiram fotos interagindo com as obras, foram feitos para a aplicação da palestra “Graffiti é Arte, Pichação é Crime” para afastar crianças e jovens do crime ambiental de pichação e direcioná-los para a Arte do Graffiti.























Em 2019 o graffiti ambiental também foi representado na exposição “Fauna do Cerrado na Arte Educação Ambiental” que aconteceu na Universidade Católica de Brasília em Taguatinga e que recebeu a visita de centenas de estudantes do ensino fundamental. Nessa exposição foram mostrado telas, livros, ilustrações originais e publicações de materiais graficos voltados para a educação ambiental.










Sou também autor do novo Museu Ambiental da PMDF (que se encontra desativado no momento) e que se localizava no Centro de Referência em Educação Ambiental do IBRAM - Instituto Brasília Ambiental no Parque de Águas Claras - DF. Este Museu foi concebido juntamente com Fabiano Fernandes (Policial, artista gráfico e também formado em Artes pela UnB).



Atualmente estou desenvolvendo o projeto Museu Ambiental Itinerante Lobo Guará da PMDF que pretende levar educação ambiental da PMDF para todas as escolas públicas e particulares do DF e projeto substituirá o Museu Ambiental da PMDF.


Fui também professor e autor do projeto em Arte Educação Ambiental chamado “Graffiti na Escola” que funcionou no GISNO- escola pública de ensino médio na Asa Norte - durante um curto espaço de tempo, de forma voluntária e que atendeu estudantes do ensino médio de diversas escolas públicas selecionados através de concurso de desenho.


Para conhecer a Arte e o trabalho na Arte Educação Ambiental acessem o meu Blog de Arte: www.dottoniarte.blogspot.com Instagram: @daibesottoni e @dottoniartes Facebook: Daibes Ottoni, D.ottoni Artes e Graffiti na Escola e o Blog: www.protegenatura.blogspot.com Instagram: @sabercerrado e Facebook: Saber Cerrado Proteger Educando, Material Gráfico de Educação Ambiental e o Blog dos dois outros segmentos de educação ambiental do PREALG - Teatro Lobo Guará e Curso Guardiões Ambientais: www.teatroloboguara.blogspot.com













Links: Lembrando que se abrir a matéria e estiver ruim de visualizar pelo computador ou celular, vá até o final da matéria e coloque na versão para web


Link sobre o CFP VI no PNB



A Arte do Graffiti do PREALG/BPMA/PMDF no PNB


Material gráfico de Educação Ambietal produzido pelo PREALG/BPMA/PMDF

Museu Ambiental da PMDF no Parque de Águas Claras

Projeto Museu Itinerante Ambiental Lobo Guará da PMDF 

Aniversário de 28 anos do BPMA no Parque de Águas Claras base do Saber Cerrado

domingo, 25 de outubro de 2020

ARTE EDUCAÇÃO AMBIENTAL VERSUS O CRIME AMBIENTAL DE PICHAÇÃO

GRAFFITI  X  PICHAÇÃO  -  ARTE  X  CRIME

Vídeo sobre o Graffiti Ambiental no CEA/PNB - Centro de Educação Ambiental do Parque Nacional de Brasília, produzido pelo Canal Antonce no YouTube do Historiador Wilson Vieira Júnior que é voluntário no Parque Nacional de Brasília.

Os dois painéis - "Casal de Lobos Guará" e "As 3 Onças" são utiizados nas palestras do Sgt. Ottoni (Autor das obras) do PREALG/BPMA/PMDF contra o crime ambiental de pichação e a favor da Arte do Graffiti. 
A referida palestra é oferecida para estudantes e professores das escolas que visitam diariamente o CEA/PNB para a aplicação de educação ambiental.


A Arte serve pra quê ???
Estamos tão cercados de Arte em nossas vidas que nem nos damos mais conta disso. 
Tudo que é criado e concebido pela humanidade primeiro é pensado, depois desenhado, esculpido ou criada uma maquete daquilo que depois virá a ser uma realidade útil em nossas vidas. 
Nossas roupas, celulares, relógios, sapatos, carros, casas, cidades, ruas, edifícos, monumentos e outros diversos objetos de desejo e consumo, antes de serem concretizados são primeiramente pensadas e depois desenhadas pra só depois existirem de fato, tudo que concebemos pra nossas vidas partem do pensamento criativo e artístico
E para estes diversos artistas damos vários nomes: Arquitetos, projetistas, designers...sem contar os artistas plásticos, quadrinistas, pintores, escultores, cartunistas e outros tantos que criam mundos novos através de sua arte, nos apresentando verdadeiras "janelas e portas" que nos levam pra outras dimensões da percepção de nossa existência.
Antes mesmo de falar ou escrever, a humanidade no seu alvorecer pré histórico, começava a se expressar através da Arte nas paredes das cavernas e são graças as pinturas ruprestes que hoje temos ideia de como viviam os nossos antepassados há milênios de anos atrás...
O que seria do nosso mundo hoje sem a Arte?

Refletindo sobre a atual conjuntura da crise mundial da pandemia, a Arte e a suas mais diversas vertentes - música, dança, pintura, escultura, teatro, literatura, cinema, fotografia, história em quadrinhos, jogos eletrônicos e arte digital  literalmente tem salvado toda a população mundial no confinamento. Sem a Arte o mundo seria bem sem graça e com toda certeza ainda estaríamos vivendo em cavernas...

O Crime Ambiental de Pichação 


No Brasil, a pichação é considerada vandalismo e crime ambiental, nos termos do artigo 65 da Lei 9.605/98 (Lei dos Crimes Ambientais), que estipula pena de detenção de 03 meses a 01 ano, e multa, para quem pichar ou por qualquer meio conspurcar edificação ou monumento urbano.
Considerado um crime de baixa potencialidade, a pichação pode se tornar uma "porta de entrada" para crimes muito mais graves, começando pelo envolvimento de jovens com gangues que muitas vezes tem envolvimento direto com o crime organizado, violência e morte no enfrentamento entre grupos rivais, envolvimento com drogas, furtos e roubos para a manutenção do vício, tráfico de entorpecentes que podem complicar e comprometer seriamente toda uma vida e futuro de crianças e jovens que resolvem se envolver com este universo, apenas para chamarem atenção. 
A todos esses problemas se somam também os acidentes decorridos do ato de pichar, aonde jovens muitas vezes caem de prédios, tendo assim um fim trágico ou passam o resto de suas vidas,presos em uma cadeira de rodas.
E isso tem influencias e consequências diretas na vida em sociedade e na segurança pública. O aumento da criminalidade nas cidades tem relação direta com o crime de pichação.
Devido ao fato dos grandes centros urbanos no Brasil crescerem desordenadamente em tamanho e em densidade demográfica e em contrapartida o efetivo policial não conseguir acompanhar tal crescimento, as forças da segurança pública se concentram e dão maior atenção à solução de crimes mais graves do que a pichação.


Seguindo o pensamento de combate de fogo com fogo, enfrentamos o crime - pichação com a arte - graffiti (tendo como exemplo em nossa região, o "Programa Picasso Não Pichava" da SSP/DF - Secretaria de Segurança Pública do Distiro Federal), ou seja, o mesmo instrumento (o spray) utilizado para prática dos rabiscos indecifráveis nos muros e paredes de casas, prédios públicos, privados e monumentos é também utilizado para a criação de verdadeiras obras primas à céu aberto, tornando paredes antes vandalizadas e muros cinzas numa gigantesca galeria de arte ao ar livre e perto dos olhos de todos cidadãos.

Todas as fotos foram tiradas na Avenida W3 Sul no Plano Piloto, desenhos e pinturas dessa matéria são de autoria de D.Ottoni.